Ministros enfatizam união de brasileiros no combate ao mosquito
SAÚDE

Ministros enfatizam união de brasileiros no combate ao mosquito

Em vídeo, 22 titulares de pastas da Esplanada destacam os dez passos que cada cidadão pode adotar para contar os focos do mosquito da dengue

Em um vídeo divulgado pelo Governo Federal nesta quinta-feira, dia 15, a campanha “Brasil contra a Dengue” ganhou um novo capítulo: 22 ministros e ministras dão dicas de como evitar focos do mosquito Aedes aegypti e enfatizam a união do povo nesse processo. No vídeo “10 minutos contra a Dengue”, eles falam sobre como cada cidadão, dedicando 10 minutos do seu dia por semana, pode contribuir para a eliminação do mosquito.
“O Brasil precisa se unir contra a dengue”, convida a ministra Nísia Trindade (Saúde) na abertura da produção. “Nós precisamos fazer a nossa parte e esse combate compete não apenas às autoridades públicas e às autoridades sanitárias, mas a todos os brasileiros”, completam os ministro Márcio Macedo (Secretaria Geral da Presidência) e Ricardo Lewandowski (Justiça e Segurança Pública).
Em outro trecho, Camilo Santana (Educação), Fernando Haddad (Fazenda) e Waldez Góes (Desenvolvimento Regional) mostram ações simples para proteger a família, como colocar areia em vasos de planta, cobrir ou guardar pneus, sucata e entulho, limpar as calhas e fechar a caixa d’água e, principalmente, pegar garrafas ou outros objetos que tenham água, despejar a água e colocar de cabeça para baixo”.
“É assim que a gente transforma o Brasil em um país muito mais seguro e protegido contra a dengue. É hora de unir forças e agir para proteger cada casa e cada cidadão. Cada um de nós fazer a nossa parte combatendo e evitando a criação dos criadouros do mosquito,” reforça Anielle Franco, ministra da Igualdade Racial.
O presidente Luiz Inácio Lula também aderiu à campanha em seu perfil no X (antigo Twitter). “Você sabia que 75% dos criadouros do mosquito transmissor da doença estão nos arredores das nossas casas?”. E completou: “Em apenas 10 minutos, cada brasileiro e brasileira pode fazer sua parte para proteger sua família e seu bairro”.
AMPLIAÇÃO DE RECURSOS — O Governo Federal ampliou para R$ 1,5 bilhão os recursos reservados para apoiar estados, municípios e o Distrito Federal no enfrentamento de emergências, como a alta de casos de dengue no país. Em 2023, a pasta já havia reservado R$ 256 milhões para esse fim. Em portaria publicada na sexta-feira (9/2), o Ministério da Saúde também anunciou otimização para acelerar a liberação de recursos para estados e municípios que decretarem emergência, seja por dengue, outras arboviroses ou situações que acometam a saúde pública.
O apoio financeiro será destinado a medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública em situações que podem ser epidemiológicas, de desastres, ou de desassistência à população. Para receber o recurso, o estado ou município deve enviar ao governo federal um ofício com a declaração de emergência em saúde. Os repasses serão mensais durante a vigência do decreto de emergência.
VACINAÇÃO — Na última sexta-feira, 9 de fevereiro, teve início o processo de vacinação de crianças de 10 a 11 anos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Brasil é o primeiro país do mundo a oferecer vacina contra a dengue no sistema público de saúde. A vacina foi aprovada para uso no país pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março de 2023. O público-alvo, o grupo de 10 a 14 anos, foi acordado entre os conselhos representantes dos secretários de saúde estaduais e municipais, seguindo a recomendação da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI) e da Organização Mundial de Saúde (OMS).
DEZ MINUTOS — A campanha lista 10 passos para serem feitos em até 10 minutos, dentro da rotina de cada cidadão, que podem fazer muita diferença na prevenção e na eliminação dos criadouros do mosquito. Dez minutos, de acordo com a realidade de moradia de cada um, é o tempo necessário para garantir que caixas d´água estejam bem fechadas, para jogar areia nos vasos de planta, garantir que os sacos de lixo estejam bem amarrados, conferir calhas, evitar pneus em locais descobertos, não acumular sucatas e entulhos e esvaziar garrafas PET, potes e vasos (confira abaixo).

Qual Sua Reação?

Alegre
0
Feliz
0
Amando
0
Normal
0
Triste
0

You may also like

More in:SAÚDE

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *